O que é e como funciona a portabilidade de crédito?

Cada vez mais os consumidores recorrem a linhas de crédito de forma a poderem não só suprimir uma necessidade que tenham, como também para poderem comprar algo que de outro modo não teriam possibilidade.

Mas, contrariamente ao que muitas pessoas ainda pensam, não são apenas os financiamentos e empréstimos bancários que são consideradas linhas de crédito. Bem, na verdade os cheques e cartões de crédito são também uma forma de crédito.

Embora hajam cada vez mais opções, a realidade é que a maior parte destas linhas de financiamento têm taxas de juro bastante elevadas. E isso, além de tornar muitas vezes um crédito em algo extremamente dispendioso, leva a que muitas famílias acabem sobre endividadas.

Assim, e de modo a tentar travar o crescimento das dívidas por parte das famílias brasileiras, em 2013 foi aprovada a portabilidade de crédito.

Não sabe o que é?

Não se preocupe que iremos explicar-lhe tudo de seguida.

O que é a portabilidade de crédito?

De forma muito simples a portabilidade de crédito é uma possibilidade de transferir os valores que estão em dívida para instituições bancárias ou financeiras que tenham taxas de juro mais baixas e possibilidade de parcelamento mais atrativas.

Assim sendo, o consumidor acaba por ficar beneficiado pois pode escolher a entidade mais atrativa. E, a par disso fomenta também uma competitividade saudável entre os bancos e instituições financeiras.

É importante frisar que qualquer pessoa física pode realizar esta operação, independentemente do tipo de empréstimo que tenha (consignado, cheque, cartão de crédito, empréstimo pessoal…).

Para realizar essa portabilidade de crédito o consumidor deve analisar o mercado e perceber quem lhe apresenta a melhor proposta.

Como se processa a realização da portabilidade de crédito?

Tenha em consideração que fazer o pedido de portabilidade é algo relativamente simples. No entanto, existem alguns pontos que deve considerar primeiramente.

O primeiro passo a dar é falar com o banco que detém a sua dúvida e perceber exatamente:

  1. Qual é o valor que ainda tem de pagar
  2. Quantas parcelas estão em dívida
  3. Qual é o valor dos juros e a taxa correspondente aos mesmos

É importante fazer este estudo prévio para ter a certeza que vai escolher uma locadora que lhe dará opções mais vantajosas do que aquelas que tem atualmente.

Considere que o pedido pode ser feito diretamente na agência ou pela central de atendimento. A par disso, o banco poderá fornecer resposta no máximo em 15 dias.

Depois de ter todos os documentos dados pelo banco na sua posse é importante que os analise! Só assim vai saber exatamente quanto está a pagar e quanto ainda terá de pagar para que sua dívida fique quitada.

Depois de saber estes dados, está na hora de proceder à comparação com as ofertas de outras entidades.

Uma forma simples de o fazer é através da calculadora do cidadão. Trata-se de um aplicativo onde coloca o valor que paga de juros e o valor da dívida, e o mesmo simula quais são as parcelas e a melhor opção de renegociação.

Quando fizer sua escolha, deverá dirigir-se à agência bancária e indicar que pretende fazer uma portabilidade de crédito.

Mas, não pense que é apenas chegar lá e o crédito é portado!

Não é bem assim.

O banco irá ter de fazer uma análise do seu cadastro e perceber se quer ou não aceitar a dívida e renegociá-la com o seu banco atual.

No caso de o banco para onde quer portar o crédito não aceite o pedido, você irá ser informado por carta (tal como está determinado pelo Código de Defesa do Consumidor).

No caso de o banco ou instituição aceitar seu pedido de transferência, peça que lhe seja enviado todo o detalhe com os custos que irá ter.

É importante frisar que a portabilidade de crédito é somente um pedido de transferência do valor que já está em dívida! Assim, o novo banco não pode cobrar qualquer tipo de tarifa adicional que leve ao aumento do valor em aberto.

Ao fazer a portabilidade, tenha alguns cuidados, pois os bancos tentam com frequência indicar-lhe alguns serviços adicionais, como é o caso da abertura de conta.

Mas, a mesma só é necessária se o depósito for feito diretamente nessa conta, como acontece no crédito consignado.

Tenha ainda em mente que o intuito da portabilidade de crédito é fazer com que tenha benefícios no que concerne as taxas de juro que paga pelo seu empréstimo.

Assim, antes de assinar o novo contrato, tenha a certeza absoluta que o mesmo irá ser benéfico para si e irá pagar menos do que estava a pagar anteriormente.

Se verificar que o seu banco está a dificultar o pedido, saiba que poderá apresentar queixa ao Banco central seguida de uma reclamação formal.

Como vê, a portabilidade de crédito é uma forma de beneficiar todos os que têm dívidas a bancos ou locadoras financeiras.

No entanto, para fazer uma escolha consciente deverá analisar os seus dados.

Só assim garante que consegue poupar ao máximo no pagamento de juros.

Sobre o autor: Ricardo Rodrigues

Formado em Engenharia e apaixonado pela área Financeira, Ricardo Rodrigues criou a NValores em Agosto de 2013 com a missão de melhorar a literacia financeira no Brasil. Exerceu funções profissionais inerentes à categoria de Consultor Financeiro na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras. Desde de 2013 com funções profissionais inerentes à categoria de CEO na RRNValores Unipessoal, Lda, especificamente, gere uma equipa formada por consultores, marketing de conteúdos e programadores que criam, desenvolvem e mantêm uma plataforma com informação e comparação de produtos financeiros gratuita para todos os utilizadores. Email: geral@nvalores.pt