Cartão de crédito com juros rotativo ou parcelado?

A crescente utilização do cartão de crédito por parte da população brasileira está a fazer com que surjam muitas dúvidas relativamente à forma de funcionamento das diferentes modalidades.

No NValores temos recebido diversas questões como: “deve optar por um cartão de crédito com juros rotativo ou parcelado” ou “no cartão de crédito qual é a diferença entre juros rotativo e parcelado”. Se você também tem essas dúvidas, aproveite este artigo para encontrar a resposta que procura.

Cartão de Crédito Com Juros Parcelados

Muitos cartões de crédito, especialmente aqueles em que o cartão está associado a uma conta corrente, permitem fazer o parcelamento da fatura.

Para optar por essa opção, o cliente apenas tem que pagar parcialmente sua fatura, optando pelo valor da parcela que deseja. Dessa forma, o crédito será concedido de forma automática.

Todas essas facilidades têm uma grande contrapartida: os juros elevados. Contudo, note que a taxa de juros associada ao parcelamento da fatura é, geralmente, mais baixa do que a taxa promovida no crédito rotativo do cartão.

Cartão de Crédito Com Juros Rotativos

O crédito rotativo é a modalidade mais utilizada nos cartões de crédito, no Brasil. Sempre que não é feito o pagamento total da fatura, o montante da restante dívida transita para o próximo mês.

Na prática, isso significa que o consumidor vai pagar mais juros. Juros esses, que podem chegar aos 600% em alguns casos.

O uso de cartão de crédito com juros rotativos é umas principais causas do endividamento excessivo de milhares de famílias brasileiras.

Qual É A Melhor Opção?

Depois desta explicação, fica mais fácil saber qual é a melhor opção dentre dessas duas. Na verdade, é sempre preferível optar por um empréstimo pessoal do que usar qualquer uma dessas modalidades de cartão de crédito.

Mas entre usar um cartão de crédito com juros rotativo ou parcelado, a reposta também é fácil e rápida de dar: opte sempre pela modalidade de juros parcelados.

O cartão de crédito com juros rotativos está quase sempre associado a taxas de juros extremamente elevadas, que podem comprometer a vitalidade financeira de qualquer família. A utilização excessiva dessa forma de financiamento conduz muitas vezes ao endividamento.

Qualquer que seja a modalidade de cartão de crédito que você utilize, o recurso ao cartão de crédito deve ser feito apenas em casos de urgência máxima. Para qualquer outra necessidade, como uma compra, uma viagem, ou outra necessidade de cariz pessoal, ou profissional, você deve usar antes um empréstimo pessoal.

Sobre o autor: Ricardo Rodrigues

Formado em Engenharia e apaixonado pela área Financeira, Ricardo Rodrigues criou a NValores em Agosto de 2013 com a missão de melhorar a literacia financeira no Brasil. Exerceu funções profissionais inerentes à categoria de Consultor Financeiro na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras. Desde de 2013 com funções profissionais inerentes à categoria de CEO na RRNValores Unipessoal, Lda, especificamente, gere uma equipa formada por consultores, marketing de conteúdos e programadores que criam, desenvolvem e mantêm uma plataforma com informação e comparação de produtos financeiros gratuita para todos os utilizadores. Email: geral@nvalores.pt